Tacaratu.net

Segunda-Feira, 26 de Junho de 2017
Rádio Perfil FM


Joana Silva

Joana Silva

Crônicas e Meio Ambiente


04/09/2011

Cidade pequena, qualidade de vida

Com a saturação do trânsito, a poluição sonora, os problemas de empregos e da infra-estrutura das grandes cidades, surge a necessidade de analisar a importância dos pequenos municípios.

A maioria da população rural do Brasil vive nas zonas rurais dos pequenos municípios e em algumas regiões, a população rural é maioria nos municípios com até 20 mil habitantes.

Quando se fala em processo de urbanização e desenvolvimento urbano a imagem que vem à mente da maioria das pessoas é a das cidades metropolitanas. Vistas como pólo do progresso e da civilização, estes grandes centros concentram as atividades econômicas e as oportunidades de acesso a bens e serviços de toda ordem que atraem a população dos pequenos centros, gerando o acúmulo de pessoas e certamente, de problemas.

Fala-se muito hoje em dia, em fluxo de pessoas que estão se deslocando das cidades maiores para as menores. Esse processo tem um bom motivo: a busca de qualidade de vida e mais tranqüilidade.

Segundo pesquisa divulgada há dias atrás, as cidades com menos de 50 mil habitantes tiveram crescimento médio de 15% no seu índice de desenvolvimento humano municipal (IDHM), nos últimos tempos, avanço superior aos municípios mais populosos. Hoje acontece também o deslocamento de pessoas das grandes cidades em virtude do desenvolvimento regional, fato relevante relacionado a Pernambuco.

As pessoas que vivem em cidades pequenas têm mais contato com a natureza. As cidades pequenas ainda mantêm uma zona rural com espaço para a agricultura familiar, fonte de renda para a maioria das pessoas menos favorecidas economicamente, evitando assim a formação de favelas e populações miseráveis. As pessoas não se estressam com o trânsito, nem poluem os pulmões com o ar tóxico.

Por outro lado, as cidades grandes oferecem coisas boas como: liberdade de escolha de compra, serviços médicos e hospitalares, área de lazer e diversão. Embora ofereçam também coisas ruins como trânsito tumultuado, poluição e causa de acidente. Excesso de lixo, solidão, violência são outras características da cidade grande. Quanto maior o crescimento das cidades menores são as suas áreas verdes e a boa qualidade do ar.

Um exemplo de cidade pequena com qualidade de vida e tudo de bom para uma vida tranqüila, sem estresse e com boa saúde é a nossa pequena Tacaratu. Embora já esteja sendo visitada pelos males do mundo modernos (atos violentos, sons fora do limite etc.) ainda existe tranqüilidade aqui. As pessoas se conhecem, se encontram, se cumprimentam e ajudam  a evitar um fato desagradável ao outro. Por ser uma região de brejo, a localização entre serras abundantes em água, a sede do município está sempre coberta por um verde muito agradável. Para ser perfeita a vida aqui, está faltando, o meu modo de ver, apenas lazer para  todas as faixas de idade. E também as pessoas terem uma mente mais aberta e mais saudável para saberem fazer críticas no momento certo e admiti-las quando forem adequadas. Afinal a crítica ajuda e contribui para as mudanças de atitudes. Saber fazer e receber críticas é uma forma de crescimento.

Como escreveu o meu amigo Paulo Félix, "TACARATU, BOM PRA PASSEAR MELHOR PRA SE VIVER"

 

                        Joana Silva





Todos os diretos reservados
Direção: José Manoel do Nascimento
Contato: (75) 3281.3004 / (75) 8801.3000