Tacaratu.net

Segunda-Feira, 26 de Junho de 2017
Rádio Perfil FM


Joana Silva

Joana Silva

Crônicas e Meio Ambiente


18/09/2010

O Lixo: Para onde vai?

A era tecnológica e digital fez surgir nos últimos anos, um grande problema: a acumulação do lixo eletrônico. Diariamente milhares de aparelhos e equipamentos como computadores, televisores, câmeras, impressoras, celulares, baterias, e outros, são descartados ou substituídos, porque se tornaram obsoletos para muitos usuários.

Os meios de comunicação assumem o papel de mostrar o que devemos consumir continuamente.

Para isso, novas necessidades são criadas e propagadas todos os dias. São tantas as ofertas que o consumidor se sente quase na obrigação de substituir os seus objetos que, em virtude de novos modelos, mais incrementados, mesmo estando em perfeitas condições, se tornaram fora de moda. Este é o objetivo principal de uma sociedade  de consumo como a que rege o mundo moderno.

À primeira vista parece algo muito bom, todos têm, todos podem. O que é preocupante é a geração de lixo. Para onde vão tantos aparelhos descartados?

Nos últimos 50 anos, com a industrialização cresceu de forma exacerbada a produção de resíduos sólidos, e maias ainda agora com o lixo eletrônico que, além dos efeitos ambientais, representa também um grande problema para a população. Muitos desses aparelhos contêm substâncias tóxicas como mercúrio e chumbo, que ao serem liberados no ambiente podem inutilizar o solo e contaminar os lençóis freáticos.

Os detritos eletrônicos estão entre as categorias de lixo que mais cresceram no mundo. Segundo um relatório da ONU, o Brasil é o quarto pais do mundo em quantidade de lixo eletrônico.

Embora já existam alguns projetos para um correto descarte do lixo eletrônico, ainda é muito pouco o cuidado com esse tipo de lixo. Aliás, com lixo e o meio ambiente, por mais que chame atenção, ainda não há uma grande preocupação.

Recente mente numa viagem de férias observei, com surpresa, que até mesmo  em cidades como a de São Vicente em São Paulo, a primeira cidade do Brasil, o lixo predomina nas margens de canais que ficam no centro da cidade. Embora eu tenha também tido a oportunidade de conhecer cidades completamente limpas como Jaraguá do Sul em Santa Catarina e Curitiba no Paraná. Dizia um antigo jargão "Povo limpo é povo desenvolvido", pelo que vemos ainda estamos longe de ser uma sociedade verdadeiramente civilizada.

Aqui em Tacaratu não é diferente. Mesmo havendo nestes últimos tempos, um maior empenho na coleta do lixo, a cidade não consegue ficar limpa porque, na maioria das vezes a população não colabora.

                Estamos sabendo que por conta da transposição do Rio São Francisco,como medida de revitalização da bacia do Moxotó, vai ser construído um aterro sanitário aqui no município.Ótima medida, porém temos que nos preocupar com a realização de um trabalho de educação ambiental para que o êxito dessa obra não seja prejudicado.Como medida principal está a coleta seletiva para evitar que resíduos reaproveitáveis sejam levados para o aterro,diminuindo assim o tempo de vida do mesmo e desperdiçando matérias não descartáveis.

Faça sua parte !!

                Joana Silva





Todos os diretos reservados
Direção: José Manoel do Nascimento
Contato: (75) 3281.3004 / (75) 8801.3000