Tacaratu.net

Terça-Feira, 25 de Julho de 2017
Rádio Perfil FM


Mensagens

Tacaratu - PE - 13/05/2013

Tudo começou com o Boi Vaidoso

Fonte: Joana Silva
João Filho
Missa do Vaqueiro em Caraibeiras
Missa do Vaqueiro em Caraibeiras

Ainda na década de 60 ( 1961 e 1962) do século passado, quando, ser vaqueiro significava muito mais que apenas saber montar a cavalo e vestir um terno de couro, Tacaratu  já mostrava sua vocação para as festas de vaquejada.

Em Caraibeiras, sob a organização de Canuto Gomes, Firmino Barbosa e João Benzota de Carvalho, surgia a primeira grande festa de gado com a pega da do "Boi Vaidoso".

Canuto Gomes, homem de fibra, muito respeitado pelo seu carisma de bom  comunicador e contador de casos interessantes, político nato, admirador do coronelismo, gostava de uma cartucheira na cintura, apenas por vaidade, representava a fábrica da Pedra (Delmiro Golveia ) do proprietário Antonio Carlos Menezes. De origem no sítio Ouricuri, Canuto foi para a Pedra de Delmiro trabalhar na fábrica têxtil, de onde foi designado para administrar em Caraibeiras a casa da fábrica com a venda de fios da pedra. Onde hoje é a propriedade da família de Carlos Gabriel, num grande chalé, Canuto morava com sua numerosa família e realizava os negócios da fábrica.

Firmino Barbosa, de origem na família Fortunato do Tacaicó, nasceu e morava em Tabira mas também além de político sempre esteve ligado a Tacaratu, mais especificamente em Caraibeiras no ramos de artigos de tear, na época artesanato.

João Benzota nascido em Tacaratu residia em caraibeiras. Homem calmo, discreto e muito envolvido com a política. Era irmão do chefe político José Benzota.

Esses três homens organizaram naquele ano de 1961 a primeira festa do Boi Vaidoso. Na primeira investida, os vaqueiros voltaram do campo bastante frustrados. O vaidoso sumiu nas caatingas nas proximidades de Cacimba Nova ou ilha Grande deixando todos no desejo de ganhar fama e receber um prêmio. De volta lhes esperava um belo almoço seguido de uma noite de forró  ao som de um trio pé de serra, no armazém de Firmino Barbosa, com muitas mulheres bonitas e fãs dos profissionais do gibão.

No ano seguinte o ritual foi o mesmo, só que desta vez, o Boi Vaidoso perdeu a invencibilidade e foi derrotado e morto. A festa aconteceu mas acabou-se a história de um boi valente e indomável.

Passado algum tempo, um grupo formado por Paulo Cruz, Zé Bentinho , Antonio Dantas e Conrado Carvalho resolveu      organizar a missa do vaqueiro, fazendo parte da tradicional festa da padroeira, Nossa Senhora da Saúde, em Tacaratu. A missa acontecia às 10 horas no pátio da matriz e era um momento harmonioso onde tantos homens do campo pareciam se encontrar com Deus, fazendo suas homenagens e suas preces. Mas após a missa alguns irreverentes e mais alterados se excediam na bebida e causavam intranqüilidade na festa, com risco de causar acidente e maltratando os animais. Isto fez com que o vigário da paróquia, na época, Padre Henrique Shuten, não aceitasse mais a realização do evento. Assim, em 1979 encerrou-se uma outra etapa de festa de vaqueiro no município.





Todos os diretos reservados
Direção: José Manoel do Nascimento
Contato: (75) 3281.3004 / (75) 8801.3000